O INSS é confiável? Veja como ele funciona!

Quem pensa no futuro e quer saber exatamente onde está investindo o seu dinheiro, já deve ter se questionado quanto ao funcionamento do INSS. Esse órgão é responsável pelo pagamento da aposentadoria após determinado número de contribuições. Mas será que dá pra confiar neste recurso? Saiba tudo a seguir:

O que é o INSS?

A sigla INSS significa Instituto Nacional do Seguro Social e é um órgão associado a Previdência Social. Ele será responsável pelo funcionamento de alguns benefícios como o pagamento da aposentadoria para aqueles que tem direito.

A aposentadoria se dividirá em algumas categorias. A mais simples delas é a aposentadoria por idade mínima de 60 anos para mulheres e 65 anos para homens. Além disso também é exigido que o contribuinte tenha realizado um determinado número de participação mensal junto ao INSS.

Quando for aprovado, o contribuinte precisa estar atento a tabela INSS 2020 para saber o valor proporcional do seu direito e quando ele será pago.

Todas essas informações devem ser oferecidas pelo INSS e as suas exigências para cada tipo de benefício são fundamentais para o funcionamento da aposentadoria.

Quem pode contribuir?

Como você pôde conferir, o INSS dispõe de alguns requisitos para que o contribuinte passe a receber a aposentadoria, por isso, quem pode receber irá depender da situação da pessoa.

Quem contribuiu para a categoria simples, ou seja, para quem trabalhou através da CLT as exigências são a idade mínima mencionada e ter entre 30 e 35 anos de contribuição para mulheres e entre 35 e 40 anos para homens.

Para quem trabalhou como Microempreendedor Individual (MEI) registrado é necessário ter feito 180 contribuições junto ao INSS e também possuir idade mínima.

Além disso, existe a opção de aposentadoria através do recurso de contribuição voluntária para o INSS. É o caso da dona de casa, por exemplo, que pode contribuir de maneira facultativa e receber um benefício equivalente a um salário mínimo.

Quem tem direito?

Quem trabalha através da CLT, não precisa se preocupar em gerar um boleto de contribuição, pois a taxa em questão é automaticamente retirada do seu salário bruto.

Para contribuir e se aposentar como MEI, o empreendedor deve faturar até R$81,000 por ano com seu negócio, além de não poder estar presente em outro negócio e precisar ter registro regular no CPF.

Donas de casa e contribuintes que desejam se beneficiar da aposentadoria, podem solicitar o boleto do INSS mensalmente, com o valor podendo variar a cada mês.

FONTE: https://tabelainss2020.com.br/

Vale a pena fazer um curso de administração para abrir uma empresa?

O curso de administração já esteve muito em alta no mercado, mas será que com tantas opções de formações superior e técnica, ainda vale a pena fazer o curso antes de abrir o seu próprio negócio?

Bem, se você está com dúvidas e precisa entender melhor sobre o assunto, leia o texto a seguir e saiba se ainda vale a pena fazer um curso de administração para abrir uma empresa.

O que é o curso de administração?

O curso de administração ainda é um dos mais populares de exatas, isto porque possui um leque muito amplo de atuação no mercado.

O profissional de administração precisa estar apto para situações diferentes e pode observar diversos aspectos durante a sua formação.

Será o profissional desta área o responsável pela área de recurso humanos da empresa, estatísticas em geral e assuntos relacionados à gestão da empresa. Além desta parte, será também necessária uma boa atuação em cálculos básicos. Por isso, muita gente pode acabar considerando o curso um tanto vago.

Mas vale lembrar que todo o planejamento da formação pode ser importante na hora de você administrar o seu negócio. Além disso, ao possuir o seu diploma, existe uma grande variedade de capacitação que ficarão acessíveis para você que já está na área de exatas e com o pezinho em recursos humanos.

Onde cursar?

A boa notícia para quem está pensando em cursar administração é que quase todas as instituições oferecem o curso e você vai pode optar entre qualidade, acessibilidade e mensalidade.

Quem tiver interesse em conseguir uma bolsa de estudos para este curso, pode também participar do Exame Nacional do Ensino Médio e concorrer a uma vaga através da plataforma do Sisu e do Prouni.

Vale lembrar que o curso de administração não está disponível somente para o nível superior. Você também pode optar por fazer um curso técnico, com duração de dois a três anos.

Vale a pena?

Mas afinal, será que vale a pena fazer o curso antes de abrir o seu negocio? Bem,muitas pessoas começaram a sua empresa antes mesmo de tr noções de cálculo,  mas o que será diferente é objetivo do seu negócio.

Para quem possui uma afinidade com a área, pode ser interessante começar o negócio por conta própria. Entretanto, para quem tem grandes metas e precisa gerir pessoas, setores e lidar com marketing, a formação pode fazer toda a diferença.

Quem está com pressa para ser seu próprio chefe, pode preferir o curso técnico de administração. Assim, você estará poder dentro das tendências de mercado em pouco tempo.

Como fazer o seu cadastro MEI passo a passo

Quem presta serviços para uma categoria fora do padrão de trabalho, já deve ter ouvido falar do MEI. O MEI é uma forma do trabalhador brasileiro que é um microempreendedor, exercer seus serviços oficialmente. Esta categoria é bastante específica e pode trazer muitos benefícios, portanto, se você quer melhorar o seu negócio se tornando um MEI, leio o texto abaixo e siga os passos.


O que é o MEI?

MEI significa Microempreendedor Individual e é uma categoria de serviço destinada aos pequenos e grandes negócios. Quando passa a ser um MEI, o servidor fica encoberto por alguns benefícios muito importantes.

Com o serviço independente, o microempreendedor não pode utilizar seus direitos trabalhistas, e ao se formalizar, além de ser um servidor individual passa a ter alguns direitos, assim como deveres.


Quem pode participar?

É importante mencionar que nem todo empreendedor pode se tornar um MEI. Para tanto, é preciso preencher alguns requisitos bastante específicos. Como por exemplo, obter fatura de até R$ 81.000 por ano.

Além disso, o trabalhador que quer sr formalizar, precisa já ter o seu próprio negócio. E vale mencionar que o mesmo não pode possuir outros vínculos de serviço, como por exemplo, ser sócio de uma outra empresa.

Quem é formalizado como MEI pode contratar no máximo um funcionário e é preciso que o tipo de serviço ou atividade estejam previstos na  Resolução CGSN nº 140, de 22 de maio de 2018. O documento possui a relação de atividades permitidas pelo MEI.


Como fazer seu cadastro?

Se você está interessado em formalizar o seu negócio e se tornar um MEI, precisa seguir corretamente o passo a passo deste cadastro. Confira abaixo:

Passo 1: Acesse o portal oficial do empreendedor MEI. Nesta plataforma você terá acesso a todo conteúdo e informação que precisa para formalizar o seu negócio.

Passo 2: Clique em “Formalize-se”. Este botão está presente na plataforma e você deve ser redirecionado para começar o seu cadastro através dele.

Passo 3: Insira os primeiros dados. No começo, é necessário apenas CPF e data de nascimento. Nas próximas páginas, você deve inserir outras informações como título de eleitor ou o número da sua declaração de imposto de renda.

Passo 4: Informe os caracteres solicitados pela página.

Passo 5: Preencha corretamente os dados solicitados, assim como o formulário.

Passo 6: Confirme o seu cadastro. Quando finalizar o processo do formulário, você deverá informar o seu número de telefone para que receba o SMS de confirmação do cadastro.

Passo 7: Quando receber o seu SMS, insira o código na plataforma e confirme a sua inscrição MEI!